Passar para o Conteúdo Principal

Espumante ‘Terras do Demo’ premiado duas vezes em concurso mundial

Espumante 1 1 980 2500
16 Maio 2017
São mais dois prémios conquistados pelo espumante ‘Terras do Demo’, um néctar dos deuses produzido pela Cooperativa Agrícola do Távora, em Moimenta da Beira. As distinções sucedem-se umas atrás das outras. Agora foram duas medalhas de prata obtidas no “Concurso Mundial de Bruxelas” que este ano se realizou em Valladolid, Espanha, de 5 a 7 deste mês de maio.

No certame, cujo júri internacional degustou e avaliou mais de nove mil vinhos provenientes de todo o mundo, os espumantes “Terras do Demo” (Malvasia Fina 2015 e Verdelho 2015, ambos brancos) conquistaram, cada um deles, uma medalha de prata. Outro “Terras do Demo”, mas Touriga Nacional (Olho de Perdiz, rosé 2015) ficou muito perto de alcançar a terceira ‘prata’. Obteve 83,12 pontos, quando precisava de atingir 84,9.

Recorde-se que o mesmo espumante Malvasia Fina 2015, branco também, já há um mês obteve uma outra distinção: o ‘Prémio Excelência’ no concurso “Uva de Ouro 2017”, entre mais de 600 vinhos à prova. Curiosamente, o “Olho de Perdiz”, rosé, mas de 2014, conquistou ‘ouro’ nas edições de 2015 e 2016 do concurso análogo de Bruxelas”. São prémios e prémios de enormíssimo reconhecimento da qualidade do “Terras do Demo”.

O “Concurso Mundial de Bruxelas”, que já vai na 24ª edição, escolhe degustadores de renome e reconhecida competência, provenientes de todas as regiões do mundo. Todos os jurados são profissionais, líderes de opinião e atores da economia mundial de vinho. Em 2015, o júri reuniu um painel de 320 provadores internacionais de 50 nacionalidades, uma diversidade que contribui para a singularidade do evento e para uma maior objetividade dos resultados.

Por outro lado, a organização investe fortemente no controlo (‘à posteriori’) das amostras premiadas. Análises complementares são realizadas regularmente sobre os vinhos que exibem o precioso emblema do ‘Concours Mondial de Bruxelles’. Estes controlos são realizados para garantirem ao consumidor uma satisfação plena através dos vinhos rotulados.

Sobre o premiado espumante “Terras do Demo” Malvasia Fina, pode dizer-se que é de aspeto límpido e com bolha fina e persistente. A vinificação ocorre em sistema de “bica aberta” com decantação e fermentação a baixas temperaturas controladas. A maturação e envelhecimento deste espumante ocorrem segundo uma evolução lenta, com arredondamento dos picos do frutado a partir dos 12 meses. Os aromas complexos acontecem na fase posterior de envelhecimento. É ideal para acompanhamento de mariscos, ostras, peixes, aves e carnes brancas.

O ‘Verdelho’ é produção nova. Uma aposta ganha da cooperativa que o produz. Um prémio que distingue este néctar, quase à nascença.

imagem