Passar para o Conteúdo Principal

Morreu o bispo emérito de Bragança-Miranda, natural de Paradinha, Moimenta da Beira

Bispo  1  1 980 2500
31 Julho 2018
O bispo emérito de Bragança-Miranda, D. António José Rafael, natural de Paradinha, Moimenta da Beira, onde nasceu a 11 de novembro de 1925, faleceu no domingo passado, 29 de Julho, aos 92 anos. A missa exequial foi celebrada na catedral brigantina, a “casa-mãe da diocese”, onde o prelado foi sepultado, “como era da sua vontade”, no átrio dos bispos, ontem, segunda-feira, 30 de Julho.

D. António Rafael resignou por ter atingido o limite da idade e, em 2001, passou testemunho a António Montes Moreira, entretanto já substituído também pelo mais jovem bispo de Portugal, José Cordeiro, que o recordou como “homem zeloso e pastor dedicado”.

A Agência ECCLESIA recorda que D. António Rafael foi para Bragança como bispo auxiliar e “tornou-se verdadeiramente um transmontano” em “todas as suas decisões, ideias, projetos e sonhos que traçou”.

O prelado foi responsável pela projeção da nova Catedral de Bragança, que começou a ser construída em 1981, e foi dedicada a 7 de outubro 2001, no seu último ano à frente da diocese.

“Teve a coragem de levar até ao fim esse projeto e sonho de alguns séculos e torna-lo realidade. É o terceiro bispo da catedral no alinhamento dos seus antecessores, D. Abílio Vaz das Neves e D. Manuel de Jesus Pereira”, lembrou D. José Cordeiro, o atual bispo, recordando ainda que “na despedida da diocese, em 2001, deixou essa frase que hoje recordamos: “Até sempre, na nossa catedral para sempre nos encontraremos”.

Além do empenho da construção na Catedral de Bragança, D. José Cordeiro destacou a dimensão social do trabalho episcopal de D. António José Rafael. “Em 1987, a Diocese já tinha lares da 3ª idade (como se dizia) com o mínimo de condições em Bragança, Miranda, Macedo de Cavaleiros e Mirandela. Com D. Rafael e também fruto do seu impulso, seguido de D. António Montes Moreira, hoje tem a responsabilidade de mais de 70% das respostas sociais e de justiça entre gerações na Cáritas Diocesana, nas Fundações canónicas, nas Santas Casas da Misericórdia, nos Centros Sociais Paroquiais”, declarou.

Licenciado em Filosofia pela Pontifícia Universidade de Salamanca, em 1954, foi nomeado vice-reitor do Seminário de Resende e cónego da Sé de Lamego, diocese na qual exerceu diversas funções pastorais, como delegado diocesano da Comissão Episcopal de Vigilância da Fé e presidente da Comissão Diocesana do Ano Santo e da Comissão dos Centenários.

Em 1976, o Papa Paulo VI nomeou-o Bispo Auxiliar de Bragança-Miranda, sendo ordenado Bispo na Sé de Lamego, em fevereiro de 1977. Foi nomeado Bispo da Diocese pelo Papa João Paulo II a 1 de março de 1979 e tomou posse a 24 de março.

O presidente da Câmara Municipal de Moimenta da Beira, José Eduardo Ferreira, lamentou profundamente a morte de D. António José Rafael, “um conterrâneo ilustre, que amou a nossa Terra e a dignificou sempre, com a sua participação em diversas actividades, e especialmente com a sua conduta exemplar”.

imagem