Passar para o Conteúdo Principal

Jornadas de Cidadania debateram os problemas do interior no último dia

1 1 980 2500
26 Maio 2019

A reivindicação do IC26 e das barragens de regadio; a descentralização que deve abrir caminho à regionalização; os territórios de baixa densidade e a importância das políticas de discriminação positiva; os fundos de coesão territorial que não estão a ser utilizados para combater os desequilíbrios e as assimetrias entre as regiões, mas antes a ser canalizados para o litoral; o país a ‘correr’ a várias velocidades; os ineficientes programas de captação de investimentos para o interior; o drama da demografia; as políticas públicas radicais que devem ser implementadas para solucionar os problemas do interior; a destruição dos serviços públicos; o plano nacional de investimentos que é inimigo do interior; a fruticultura como um desígnio de Moimenta da Beira; as organizações de produtores locais que estão a unir-se para ganhar escala; o Ministério da Agricultura que tem vindo a desaparecer do interior do país; os insuficientes e desajustados incentivos para as empresas se instalarem nas regiões de baixa densidade. Foi uma mão cheia de recados e alertas, em tom reivindicativo, quase todos de José Eduardo Ferreira, presidente da Câmara Municipal de Moimenta da Beira, abordados na mesa de debate onde se discutia o Programa de Captação de Investimento para o interior (PC2II), mesa que juntou, além do autarca, um governante e quatro dirigentes de instituições públicas no último dia das Jornadas de Cidadania que se realizaram em Moimenta da Beira na quinta e sexta-feira, 23 e 24 de maio.

“Não há nenhuma razão para não termos o problema do regadio já resolvido no nosso concelho”, disse, inconformado, o autarca, criticando o centralismo de Lisboa que ostraciza e abandona os territórios do interior “a um ponto que pode ser já de não retorno”, e que pergunta se o que tem vindo a ser feito (pelo Estado Central) para inverter este estado de coisas, "está a ser feito a um ritmo suficiente? "Eu tendo a dizer que não”, responde o autarca.

“Estamos a fazer as coisas certas e a trilhar o caminho certo. Não podemos é ter a ilusão de querer ver resultados no imediato. O programa de captação de investimento para o interior, que não está ainda fechado, potenciará as regiões de baixa densidade, estou certo disso”, afirmou João Paulo Catarino, Secretário de Estado da Valorização do Interior que, à mesa com Nuno Manga, Presidente do IAPMEI; Luís Reis, da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP); Pedro Móia, da CCDR; e Filomena Dias, também do IAPMEI, tentaram todos ensaiar discursos mais optimistas, porém, não escondendo a existência de dificuldades e constrangimentos no caminho rumo a um Portugal mais coeso territorialmente. O debate foi moderado por António Bondoso, jornalista.

No primeiro dia das Jornadas de Cidadania o programa incluiu dois painéis. O primeiro sobre políticas sociais para o envelhecimento e o segundo sobre como educar e formar para o sucesso individual e o desenvolvimento social e local.

Neusa Festas, Diretora do Núcleo de Respostas Sociais do Centro Distrital da Segurança Social de Viseu, falou sobre o “Enquadramento das políticas sociais para o envelhecimento”; Maria do Céu Macedo, Diretora do Núcleo de Intervenção Social do Centro Distrital da Segurança Social de Viseu, das “Medidas de Apoio ao Cuidador Informal”; Alexandra Dinis, Associação Portuguesa para o Mindfulness, sobre “Mindfulness e Terapias de 3ª Geração”; Anabela Guedes, Docente da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego – ESTGL, abordou “A comunidade e a necessidade de uma escola inclusiva e motivadora”; Pedro Cunha da Fundação Calouste Gulbenkian, “A importância das academias do conhecimento”¸ José António Almeida, Diretor Pedagógico da Escola Profissional da Quinta do Ribeiro, fez a apresentação de projeto “Escola Solidária”; Maria do Carmo Aires, docente do Agrupamento de Escolas de Moimenta da Beira, a apresentação do projeto “Escola Embaixadora do Parlamento Europeu”; e por último, Joana Moreira, Presidente da Associação Juvenil Transformers, falou sobre o “Projeto Transformers”.

image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title