Passar para o Conteúdo Principal

Carta Arqueológica

imagem
Monumentos megalíticos, castros e diversos núcleos de sepulturas, transportam a imagem do nosso passado colectivo.
A extensa necrópole megalítica que “ habita “ o Planalto da Nave, são os primeiros testemunhos do povoamento em terras de Moimenta da Beira que, paulatinamente deixaram de constituir albergue para as primeiras comunidades dos nossos ancestrais.

A estas rudes e arcaicas “moradias”, dão lugar as citâneas circundadas por imponentes muralhas pétreas. Pela sua representatividade destaca-se o Povoado do Castelo com uma ocupação algures inserível no III º milénio a. C, e o povoado amuralhado - “ O Muro “ ( peravelha ), ocupado pelo menos desde os finais do Iº milénio antes de Cristo ( Bronze Final ) até à época Romana e mesmo Alta Idade Média, testemunhos ímpares que nos fornecem um óptimo cenário de ocupação humana.

Aliado a este cenário inigualável, surgem-nos ainda as sepulturas antropomórficas que pontilham o município de Moimenta da Beira.

Com os romanos inicia-se uma nova fase. Estradas, pontes, estelas funerárias e textos epigráficos são os legados da romanização, que predominantemente abundam pela freguesia de Rua.

O Planalto da Nave, é sem dúvida, o lugar de eleição para conhecer-mos com profundidade a historicidade e o legado dos tempos proto-históricos. Aqui, o visitante terá a oportunidade de fazer uma viagem no tempo e imaginar o «modus vivendi» dos nossos antepassados, sabeis avoengos que abriram caminho para o mundo contemporâneo.